WIKILEAKS: EUA PRESIONARAM BRASIL SOBRE HAITI

Wikileaks: EUA pressionaram Brasil

para conter violência no Haiti

De acordo com um despacho diplomático vazado pelo Wikileaks, datado de 2005, os Estados Unidos pressionaram o governo brasileiro a frear a violência no Haiti e reforçaram o desejo de manter o ex-presidente haitiano, Jean-Bertrand Aristide, longe do poder.

Conforme informou o jornal Folha de S. Paulo, a intenção de Washington era substituir o general brasileiro Augusto Heleno Ribeiro Pereira do comando militar da Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti) como solução para os casos de violência.

"Surgiu um novo líder de gangues, em Cité Soleil, que pretendia se transformar em um mito: Dread Wilmé. Daí a impaciência e o apelo da embaixada norte-americana e outras por 'operações robustas'", disse nesta quarta-feira (13/01) à Folha o general Heleno, hoje no Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército.

O general disse ter recebido apoio incondicional do Itamaraty, do Ministério da Defesa e do Exército. "As pressões eram evidentes e aconteceram desde o início da missão, em 2004. Por isso, eu deixava bem claro que a agenda de operações era de minha exclusiva competência", disse.

O diálogo sobre a missão brasileira no Haiti foi feito durante uma conversa sobre a violência no país caribenho, em que os funcionários norte-americanos pediram maior repressão contra rebeldes e gangues haitianas. Em um determinado momento, o documento revela que o assessor especial da presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia, reconhece as dificuldades enfrentadas no Haiti, mas defende a presença do Brasil como promotor da paz.

"[Garcia] afirmou que o Haiti (ao lado da Bolívia) permanece sendo uma das prioridades da política externa brasileira, um exemplo da necessidade de poderes regionais de trabalharem juntos em um esforço para estabilizar/democratizar um estado em potencial falência", escreveu o então embaixador dos EUA no Brasil John Danilovich.


Aristide

O risco de Aristide, deposto em um golpe patrocinado pelos EUA em 2004, voltar ao Haiti, é abordado na conversa de Danilovich com Garcia e também com o atual ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, na época Subsecretário-Geral Político do MRE.

"Patriota afirmou que o simples dato de Aristide existir sempre será problemático devido à sua influência em alguns setores da sociedade haitiana, porém, grande parte da comunidade internacional trabalha para isolá-lo", diz o despacho.

Garcia, por sua vez, reforçou que a presença de Aristide "não se encaixa em um futuro político democrático" no Haiti.

FONTE

0 comentários:

Postar um comentário

Comente, Questione, Critique, Aconselhe, Tire Dúvidas.

Mas difamações, ataques pessoais, trollagens, xingamentos, atitudes de intolerância, assim como comentários à serviço de militâncias políticas e religiosas não serão aceitos!

Fica reservado ao Blog Filhos de YHWH ou não, de comentários anônimos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

468x60

energia a preço justo
Nelson Neto. Tecnologia do Blogger.
 
Filhos de Yhwh © 2012 | Designed by Nelson Neto