A CASA DO OLEIRO

PR. JORGE VALLE

O Grande General

ABRA O SEU CORAÇÃO NESTE MOMENTO para a santa, eterna e doce Palavra de Deus. A nossa meditação neste momento encontra-se no Segundo Livro de Reis, no capítulo cinco, versículo primeiro, que diz o seguinte: E Naamã, capitão do Exército do Rei da Síria, era grande homem diante do seu senhor e de muito respeito, porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso. Amados amigos, esta palavra que acabamos de ler no Segundo Livro de Reis conta-nos a história de um grande general do exército da Síria, chamado Naamã. Este homem valoroso para a sua nação, para o seu país, quantas e quantas conquistas, quantas vitórias ele trouxe para a sua nação, tornando-se naquela época a Síria uma das maiores potências do mundo. Este general, quantas vezes saiu do seu país com o seu exército, e voltava vitorioso; e quando ele ia entrando nos portões da sua cidade, aquela grande multidão saía ao seu encontro aclamando o seu herói nacional, o homem por intermédio de quem, Deus proporcionara grandes conquistas. Naamã vestido naquele seu fardamento de general do exército, todo garboso em seu cavalo de vitória, as ruas da cidade naturalmente calçadas com flores perfumadas, que para ele era o cheiro da vida, o cheiro da vitória; os aplausos eram vistos e sentidos por todo o império quando Naamã entrava dentro das muralhas da sua nação. Depois das condecorações, dos fraternos abraços dados pelo rei do seu país, Naamã ia para casa. Naturalmente para receber o abraço da sua esposa, e dos seus filhos; mas qual era a tristeza deste homem quando entrava nos seus aposentos e começava a tirar a sua roupa, despir-se, e quando observava o seu corpo todo comido pela lepra. Lá fora eram os aplausos a um grande guerreiro, mas ninguém sabia o que se escondia por trás daquela farda, daquela indumentária de um grande general. Somente em casa, na intimidade do lar, no aconchego da família é que se conhecia a fragilidade daquele grande general do exército da Síria.

Meus amados amigos, ouvintes da Palavra de Deus, esta história naturalmente tem muito a ver com muitas pessoas que estão sendo aplaudidas aí fora. Quantos obreiros do Senhor, que quando assumem o púlpito de suas igrejas, que começam simplesmente a transmitir aquela mensagem para o seu auditório, mensagem de santidade, de pureza, de santificação, com toda a certeza a congregação olha para o seu pastor e aplaude, porque ele é na verdade um grande homem de Deus. Mas na realidade, quando este homem chega na sua casa, no aconchego da sua família, é que vai se conhecer a fragilidade do autêntico homem. Quando o homem se despe, quando sai do seu pedestal, do apogeu, do aconchego da sua congregação, somente quando ele chega em casa é que vai se conhecer quem é o homem, quem é a pessoa. Não existe nenhum super-homem na face da terra, não. Essas histórias de super-homens se encontram somente nas histórias das revistas em quadrinhos. Não na realidade. Mas aquele grande pastor que na igreja é aplaudido, quando chega em casa, que mostra a sua fraqueza, mostra a sua fragilidade, mostra que ele é homem igual a outro qualquer, que ele começa a demonstrar o seu nervosismo diante de certas situações, é aí que se revela a essência do autêntico e verdadeiro homem. Meus amados amigos e ouvintes da Palavra de Deus, nós encontramos entretanto, na vida deste grande general da Síria, um expressivo incidente, quando uma simples moça que havia sido conquistada, e era escrava na sua casa, aquela jovem um dia disse para aquele general –- a empregada também conhecia, a fragilidade do seu senhor. Ela disse: “Olhe, lá em Israel existe um profeta que pode perfeitamente curar o meu senhor Naamã.” Foi dada esta notícia para Naamã, e Naamã pensou, em toda a sua arrogância de grande general, “ir até Jerusalém?” Mas naquele momento, deixando de lado o seu preconceito, seu egocentrismo, ele partiu para Israel, com uma carta de recomendação de rei para rei, apresentando Naamã, general da Síria. Chegou em Israel, e quando esperava que o profeta viesse ao seu encontro, o profeta simplesmente mandou que ele esperasse lá fora que ele iria falar com ele. Parecia até um abuso, pedir que um general da Síria esperasse. Mas aqui estava o quebrantamento de um homem acostumado a dar ordens, acostumado a mandar, a determinar; e quando o profeta, em lugar de aparecer, simplesmente mandou um recado, dizendo a Naamã que fosse até o Rio Jordão e ali desse sete mergulhos. Amados amigos, naquele momento a fúria de Naamã foi vista, foi verificada. Ele disse: “Porventura, será que na Síria nós não temos rios limpos e claros, para mergulhar aqui neste rio, simplesmente cheio de lodo, que é o Rio Jordão? Mas alguém disse: “Naamã, o profeta está pedindo para fazer alguma coisa absurda? Não. Vá, faça o que ele manda!” E aquele homem foi até o Rio Jordão, e ali deu o primeiro mergulho, e nada; deu o segundo mergulho, a fúria tomando conta daquele homem; deu o terceiro, começou a praguejar, o quarto, o quinto e o sexto, e nada acontecia àquele grande general. Ele já estava disposto a sair quando alguém disse: “Mas a receita do profeta não são sete mergulhos? Vá lá, e dê o sétimo e último mergulho.” E aquele homem foi, e deu, e saiu completamente limpo. Por que? Porque nas profundezas do Jordão ficou a arrogância daquele homem. O seu egocentrismo ficou ali naquela hora. Aquele homem que estava acostumado a ser aplaudido, agora estava ali sendo humilhado, mergulhando naquele rio. E aquilo foi caindo, o seu apogeu de um homem que era um general foi se colocando de lado, e ele finalmente viu o seu corpo ser limpo, e ser purificado, e ficar completamente sarado da sua lepra.

É possível, meu prezado amigo, ouvinte da Palavra do Senhor, que você esteja neste momento com o corpo leproso por causa da sua arrogância, por causa simplesmente da sua forma de ser, mas Jesus diz neste momento: “Desce, sai deste pedestal, que com toda a certeza você vai ver a glória de Deus em sua vida!” É isso! É isso que Deus quer fazer com você, mas tudo vai depender de você. O profeta não vem falar com você. O problema está aí na sua vida, está no seu coração; mas se neste momento você abrir a sua vida, você abrir o seu coração, você vai ver o perdão dos pecados vir sobre você, e o nome de Jesus ser glorificado na sua vida, porque Jesus o ama, e Ele quer purificá-lo completamente. Que o Senhor o abençoe e guarde, e que esta palavra fique na sua vida em nome de Jesus. Amém e amém.

A Casa do Oleiro

ESTÁ NESTE MOMENTO NO SEU RECEPTOR o programa “A Bíblia Responde”. O seu caderninho de anotações, com toda a certeza, está aí do seu lado. E vamos abrir a Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus, no Livro do Profeta Jeremias, capítulo dezoito, a partir do primeiro versículo, que diz o seguinte: Palavra do SENHOR que veio a Jeremias, dizendo: Levanta-te e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras. Desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas. Como o vaso que ele fazia de barro quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer. Meus prezados irmãos, a primeira palavra que ouvimos aqui do Senhor ao Profeta Jeremias foi quando Ele disse: “levanta-te e desce à casa do oleiro”. Para quem é que Deus está falando nesse momento? Para o Seu profeta, homem que Deus havia escolhido desde o ventre materno. Homem que Deus havia levantado no meio de uma nação pecaminosa, para ser o seu atalaia, o porta voz divino na sua geração. Com toda a certeza Jeremias era um homem de uma unção divina e de uma mensagem vibrante, que fazia com que o inferno tremesse e o odiasse. Que fazia com que as pessoas não o aceitassem porque ele sempre estava pregando mensagens veementes contra o pecado. Era um homem de Deus. E nesse momento Deus disse para Jeremias: “Jeremias, desce à casa do oleiro, que ali eu falarei contigo”. Jeremias naturalmente deveria ter feito algumas conjecturas com respeito a este assunto. “Mas eu, Senhor? Descer à casa de um oleiro? Descer à casa de um homem que tem uma... uma função tão simples... O que é que um homem desses tem para me ensinar, para me mostrar? O que é que eu vou aprender com um oleiro, Senhor? E o Senhor me manda descer, e ir até a casa do oleiro? Casa que só tem barro, cacos de tijolo, de telha, de vasos quebrados... o homem naturalmente, ali todo sujo, de barro, de lama, e o Senhor me manda descer até a casa do oleiro...! Mas como é o Senhor que está mandando, eu descerei à casa do oleiro.” E Jeremias desceu até a casa do oleiro, sem avisar que estaria indo visitá-lo. Ele aproxima-se da casa do oleiro. Naturalmente as portas abertas, Jeremias entra tranqüilamente e ouve o som, o barulho de alguém que estava trabalhando. E ele calmamente se aproxima e, sem dizer bom dia ou boa tarde, ele começa a apreciar o trabalho daquele artesão que estava ali com aquela sua mó, com aquela roda, com um monte de barro encima; e Jeremias, por trás, simplesmente começou a ver que daquele barro sujo, todo melado, o oleiro ia dando a forma de um vaso, e um vaso lindo foi aparecendo. Aquilo atraiu a atenção de Jeremias, quando percebeu aquele vaso bonito, saindo da mão do oleiro. Mas o oleiro começou a se esmerar tanto no trato com aquele vaso que ele foi afinando e trincou; quando trincou, simplesmente o oleiro pegou o barro e voltou para a estaca zero, voltou para a forma primitiva. E naturalmente Jeremias ali por trás olhou e disse: “Mas que coisa, o que aconteceu? Um vaso tão bonito como esse, se quebra!” Nesse momento o oleiro pegou o barro outra vez e foi dando a forma a um novo vaso, até surgir um vaso bonito, perfeito. Naquele instante não foi o oleiro que falou, não foi ninguém da oficina que pronunciou uma palavra, mas naquele exato momento Jeremias ouviu a voz do Senhor: “Porventura eu não posso fazer assim com a casa de Israel?” Como barro na mão do oleiro, assim era aquela nação, à qual Deus estava dando forma.

Meus prezados amigos, e ouvintes da Palavra do Senhor. É possível que nesse momento você esteja encima desse fuso, dessa roda, onde Deus está preparando da sua vida um vaso especial. Mas é bem possível que neste momento esse vaso, que é você, ele tenha trincado, rachou, e o oleiro está trabalhando e voltando o barro à forma primitiva; e você não está gostando, porque está doendo. As tribulações que surgem são terríveis sobre a sua vida. Você sente o amargor da situação trágica que você está atravessando; e muitas vezes você geme. Você reclama que os dilemas, os problemas, as tribulações são grandes; mas eu quero dizer para você neste momento, que tal como o barro na mão do oleiro para fazer um vaso especial, Deus está trabalhando na sua vida neste momento. Ele é o divino oleiro, e nós somos este barro. Ele quer dar esta forma toda especial à sua vida. Mas o que é preciso, o que é necessário? O que é que Deus quer de você nesse momento? Ele quer simplesmente que você desça do seu pedestal, dessa arrogância que talvez tome conta da sua vida, que você não queira dar o braço a torcer de que é um mero monte de barro para ser transformado em um vaso, e você não quer dar o braço a torcer. Você se acha muitas vezes seguro de si, acha-se o tal, não se submete a ninguém. Mas o Senhor está dizendo neste momento para você: “Desce, desce desse teu pedestal, e vai até a casa do oleiro!” Vá à casa daquele homem que você julga que não tem a competência que você tem, que não tem o conhecimento que você possui, que não tem o grau de cultura e conhecimento de que você é detentor, que não tem nenhum diploma que você possua. Ele não tem nenhum diploma, mas que ele pode, como aquele oleiro, lhe dar uma lição extraordinária, neste momento, e você sentir o que significa o homem que se humilha diante da potente mão de Deus. No devido tempo Ele pode exaltar. Ele pode. Ele pode fazer de você um vaso de honra, um vaso de glória, um vaso que venha a adornar a casa do Senhor, e você vir a ser uma bênção para glória do Seu santo e precioso nome. Ele quer; e Ele está trabalhando na sua vida nesse momento. Ele quer transformar você, esse caco velho, esse vaso que está trincado, vazando todo o azeite, Ele não quer que você seja esse vaso trincado, vazando este azeite, mas Ele quer fazer de você um vaso de honra, um vaso para glória, um vaso que detenha a Sua unção, o Seu poder e a Sua glória. Basta você descer desse seu pedestal e você vai ver a glória de Deus erguer a sua vida de uma maneira toda gloriosa para a honra do Seu santo e precioso nome! Por isso, meu amado irmão, Jesus está neste momento falando com você, “Desce!” E você vai ver o poder de Deus, esse poder transformador, este poder sublime tomar conta de você, de uma tal maneira, que a glória de Deus vai brilhar na sua vida. Que Deus o abençoe e guarde para sempre. Amém e amém.

Transplante

ESTÁ EM SEUS RECEPTORES O PROGRAMA “A Bíblia Responde”. E é com muito prazer que vamos neste momento meditar na Palavra de Deus. Desta feita o faremos no livro do Profeta Ezequiel, capítulo trinta e seis, versículo vinte e seis, que nos diz o seguinte: Dar-vos-ei coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei um coração de carne. Porei dentro em vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos, e os observeis. Estamos vivendo numa época do avanço da ciência em todas as suas ramificações. É o homem que vai à lua, é o mundo globalizado, interligado através da Internet, é o mundo dividido em blocos econômicos, é o avanço da tecnologia, é o avanço da ciência bioquímica, é o avanço da astronomia, é o avanço da medicina, ao ponto do homem fazer a clonagem, como temos tido a notícia; nesses últimos tempos, a possibilidade da criação do bebê de proveta, e até mesmo daquele que é feito em laboratórios. Estamos vivendo numa época em que a ciência médica tem conquistado terrenos jamais imaginados. Quem ouviu, há quarenta anos atrás, falar na possibilidade de algum dia o homem poder ter o coração transplantado? Dizia-se até que o centro das emoções do ser humano encontrava-se no coração. Mas na realidade a ciência tem dito ao contrário. Homens têm tido os seus corações transplantados e continuam da mesma maneira e da mesma forma, com o mesmo sentimento, amando a sua própria esposa, os seus filhos, o seu trabalho, tendo consciência perfeita daquilo que ele é. A ciência médica, através do seu avanço, tem conseguido transplantar até a medula das pessoas. Transplante de rins, isto já é coisa do passado. Transplante do coração, isto simplesmente já se tornou rotina. Mas uma das coisas que nós observamos em todos esses transplantes, é que se você transplantar o coração de um bandido e colocar no peito desse delinqüente um coração de um homem sadio lá fora, de um catedrático de uma universidade, aquele bandido com o coração daquele cientista não vai mudar a sua natureza. Não vai mudar o seu caráter. Ele vai continuar pensando da mesma maneira, agindo da mesma forma.

Mas encontramos aqui na Bíblia Sagrada esse transplante que a Bíblia nos mostra, onde Deus diz, dar-vos-ei coração novo, e porei dentro de vós um Espírito novo, tirarei de vós o coração de pedra, e darei um coração de carne. É isto. É esta mudança que o homem não pode fazer, que a ciência médica não tem condições de realizar. Não há essa possibilidade de mudar o caráter de ninguém, de mudar a personalidade de uma pessoa. Mas quando Deus diz: “Eu tirarei esse coração de pedra, e darei um coração de carne”, esse transplante somente Deus é que pode fazer, tirar aquele coração endurecido, embrutecido, do homem violento, do homem sanguinolento, daquele homem cruel, e transformar numa nova criatura. Somente o poder de Deus é que pode fazer isso. Somente Ele pode transformar o mais vil pecador numa nova criatura. Somente Ele pode fazer esta mudança no homem, de uma maneira que ele venha a pensar e agir de uma maneira correta, de uma maneira santa, de uma maneira pura. Homem nenhum, médico nenhum pode fazer isso, somente Deus. E quando Ele diz, “darei um Espírito novo”, é porque Ele tem a possibilidade de fazer algo que o homem não pode fazer. O homem pode transplantar um coração de carne de um para o outro, mas transplantar o espírito, tirar esse espírito imundo, esse espírito maligno, esse espírito de porco que está no coração do homem, somente Deus pode mudar isso. E quando Ele o faz, o homem é totalmente mudado; aquele homem que odiava e que era violento contra a sua família, ele passa a amar a sua esposa, passa a compreender os seus filhos, passa a compreender as pessoas que o cercam, ele passa a amar até o seu próprio inimigo. Somente Deus pode fazer essa mudança de espírito também. Ele pode. Você, que está neste momento me ouvindo, eu não sei qual é a sua procedência, não sei qual é a sua origem; é possível que você tenha nascido de um lar violento, de um lar onde a crueldade campeie, e você foi formado praticamente na escola do crime. Hoje você sofre com isso, você sofre contra essa sua própria natureza. Você não quer ser assim, mas você é; você não quer agir dessa forma que você age, mas você age! Por que? Porque independentemente de um coração de pedra, você tem um espírito que o perturba. Mas nesse momento a Graça de Deus chega até onde você se encontra, e pode perfeitamente mudar essa sua natureza, e transformar você, um homem velho, numa nova criatura, onde a vida possa surgir para você de uma maneira toda especial. Jesus disse certa ocasião, em João, capítulo dez, versículo dez, que o ladrão vem somente para roubar, matar, e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. Vida abundante! Você não encontra nas riquezas, não encontra na fama, não encontra nos círculos sociais que você convive; vida abundante você não encontra no apogeu de uma vida regalada, mas a vida verdadeira você só encontra na pessoa bendita de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Ele disse que a Sua missão foi vir ao mundo para trazer vida e vida com abundância. É esta vida que Ele lhe quer dar. Ele quer tirar esse espírito que tanto perturba a sua vida, e transformar você numa nova criatura, numa nova pessoa, com uma nova natureza. Você quer largar o vício, largar a droga, e não tem conseguido; mas hoje mesmo Ele pode transformar esse seu caráter em uma nova pessoa.

Em Oklahoma existia um cidadão que se chamava o Velho Jim. O Velho Jim era um elemento que bebia, e bebia tanto que caía. Um dia ele levantou-se na frente de uma igreja e entrou no templo. O pastor viu quando ele se ajoelhou na frente da igreja. Ele levantou a mão para cima e disse: “Jesus, eu sou o Jim, Jesus. Eu sou o Velho Jim.” No dia seguinte o Velho Jim sofreu um acidente e foi parar no hospital. Quando o pastor foi visitá-lo e chegou lá, o Velho Jim estava sentado na cama. O pastor identificou-se e o Velho Jim disse: “Pastor, eu estou alegre. Porque hoje eu estava deitado nesta cama, em estado em coma. E aí, no meio do quarto, apareceu um homem, que levantou as mãos e disse: “Jim, Eu sou Jesus, Jim!” Jesus Cristo pode mudar o seu ser, pode mudar a sua vida, e você, a partir de hoje, tornar-se uma nova criatura, na presença de Deus, para a sua família e a para a sociedade que você vive. Deus pode mudar você ainda hoje. Que Deus o abençoe e guarde para sempre! Amém e amém.

Põe em pé

ESTE É O SEU PROGRAMA “A Bíblia Responde”, com o Pastor Jorge Valle. E vamos neste momento meditar na Palavra de Deus. Abra a sua Bíblia no Livro do Profeta Ezequiel, capítulo dois, versículo primeiro, que diz o seguinte: E disse-me, filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo. Nós observamos esta determinação divina dada ao Profeta Ezequiel, homem que foi grandemente usado nas mãos do Senhor. Esse homem profetizou em dias em que a nação de Israel se encontrava num pecado clamoroso. A Graça de Deus não podia se manifestar porque não havia nem um justo sequer. Ele mesmo solicita, procura um homem que tapasse a brecha. Que se colocasse no muro, perante Ele, a favor dessa nação; “mas a ninguém, a ninguém Eu achei”. Que trágica situação esta, da nação de Israel, e do povo de Deus. E nesse momento nós encontramos Deus dizendo para Ezequiel, “põe-te em pé, Ezequiel, que Eu falarei contigo”. Deus quer falar com o ser humano, quer falar com as pessoas; Deus tem imenso prazer nisso, porque quando Ele fez o homem, Ele o fez segundo a Sua imagem e segundo a Sua semelhança. Deus fez o homem porque queria o companheirismo deste homem. Ele andava na virada do dia juntamente com Adão, ali no Éden. Até que, finalmente, o pecado veio e derrubou aquele gigante; e foi rompida a comunhão entre Deus e ele. Uma muralha foi formada, não havia mais comunicação; porque, diz a Bíblia Sagrada, os vossos pecados fazem separação entre vós e o vosso Deus [ ]. Deus quer se comunicar com o homem, mas o pecado tem feito esta barreira. No conceito divino, o homem no pecado está caído. E é nesta hora que Deus quer se comunicar com o Seu filho, Ele quer transmitir o Seu amor à Sua nação, e Ele chega ali e dá condição para Ezequiel, dizendo: “Ezequiel, põe-te em pé, e eu falarei contigo!” Falar com o homem sentado, falar com o homem deitado, isto não é a intenção divina. Deus quer falar com o homem que está em pé. O homem que está com a sua vida reta no Seu altar, na presença Dele. Deus quer, simplesmente, que você se coloque em pé nesse instante, porque Ele lhe quer falar. Você muitas vezes fica perguntando: “Mas Deus calou-se comigo: nunca mais senti a presença Dele, nunca mais ouvi a Sua voz, nunca mais recebi uma profecia. O que está acontecendo? Deus me abandonou.” Você até diz que já nem mais crente é. Você não sente mais aquela alegria, aquele gozo da salvação que você tinha outrora. Mas eu pergunto para você: do lado de quem está o problema? Do lado de Deus ou do lado do homem? Do lado Dele ou do seu lado? E quando você começa a cair em si, você começa a observar que a mão de Deus está estendida todo o dia para você. É a condição em que você se encontra que simplesmente não permite que você tenha essa doce comunhão com o Pai celestial, como você deveria ter. E teria, se você se encontrasse em pé, na presença Dele. Você espera que Deus o use, que Deus o ouça, que Deus opere por seu intermédio, dentro de uma condição pecaminosa? Em que você se encontra? Em absoluto, não. Quando Ele diz: “põe-te em pé e Eu falarei contigo”, não é simplesmente se colocar em pé fisicamente, mas é colocar-se numa posição de santidade, na presença Dele. Ele não faz acepção de pessoas, não, absolutamente não; Ele quer falar com você, não interessa a intensidade do seu pecado, não interessa a condição que você vive, não interessa a postura que você esteja nesse momento. Não interessa o grau, a quantidade, a intensidade, o tamanho, a cor do pecado que você tenha cometido. Quando Deus diz: “Põe-te em pé!”, é porque existe solução para você, ainda há uma saída. A Bíblia diz simplesmente que: Se, porém, andarmos na luz, como ele na luz está, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo o pecado [ ].

Nós encontramos uma grande figura no Antigo Testamento, que a Bíblia chama o homem segundo o coração de Deus [ ], que foi Davi. Davi, o homem de Deus, o homem puro, o homem santo. Mas que de repente se deixa levar, tropeça, cai, esconde o seu pecado. Como rei, achava ele, estava certo e tinha direito, até que o seu pecado foi descoberto. Mas até ser descoberto, aquele homem havia sofrido tremendamente uma crise que lhe esmagava os ossos: dizia ele que o seu leito era simplesmente um rio de lágrimas. Pois diz a Bíblia: “enquanto eu escondi os meus pecados, o SENHOR esmagou os meus ossos [ ]”, mas ele também declara no salmo cinqüenta e cinco, “eu confessei-te os meus pecados, e Tu saraste a minha enfermidade” [ ]. É isto que Ele quer fazer quando diz para você, “põe-te em pé e Eu falarei contigo!” Depois que o salmista se viu perdoado, ele disse simplesmente para o Senhor: “Agora, Pai, restitui-me a alegria da salvação, não retires de mim o Teu Santo Espírito, e nem me repulses da Tua presença, mas restaura-me a alegria da salvação! [ ]” O que faltava na vida de Davi? A alegria da salvação. Por que não tinha? Por uma conseqüência pecaminosa; mas ele confessou, colocou-se em pé, e o Senhor simplesmente restaurou a sua vida espiritual. Aquele gigante na fé levanta-se e prossegue a sua caminhada, porque Deus havia perdoado e restituído a alegria. E ele continua a sua marcha. É justamente isso que Deus quer fazer com você. Não adianta você querer se justificar diante do povo, dizer que é santo, quando na realidade a sua vida lá fora é outra. Não adianta você querer dar lição de moral para a sua família ou para os seus filhos, quando lá dentro, no íntimo, no íntimo, a sua vida não condiz com a exigência que você faz. Não pensemos que acusando os outros nós vamos nos justificar, em absoluto; mas diz a Bíblia: confessa, simplesmente, e você vai alcançar a misericórdia do Senhor. Hoje mesmo Ele quer perdoar. Ele quer purificar, Ele quer limpar a sua vida, Ele quer purificar os seus pecados. Ele quer repor o seu nome no Livro da Eternidade, Ele quer que você se levante nesta hora, porque Ele lhe quer falar: “põe-te em pé, e Eu falarei contigo!” Que coisa bonita, que coisa importante é quando estamos em pé e podemos ouvir Deus falar face a face conosco. É isso que Ele deseja, é isso que Ele quer. “Põe-te em pé, e Eu falarei contigo.” Você pode nesse momento ter os seus pecados perdoados, se você simplesmente clamar ao Senhor. Ele está disposto a perdoá-lo e renovar, restaurar a alegria da salvação que você um dia possuiu. Porque Deus não é o homem, mas a misericórdia Dele está estendida de geração em geração [ ]; e hoje mesmo você pode voltar para ouvir a voz do Senhor. Que Deus, na Sua infinita bondade, Ele abençoe o seu coração nesta hora, e você possa se colocar em pé porque Ele lhe quer falar! Que o Senhor o abençoe e guarde, hoje, para sempre, amém e amém.

Não há pecado

ESTE É O SEU PROGRAMA “A Bíblia Responde”. E nós vamos meditar na Palavra de Deus, neste momento, no Livro do Profeta Daniel. No capítulo primeiro, versículo oito, que nos diz o seguinte: E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar. Que mensagem preciosa; e eu quero dedicar esta palavra a nossa juventude, a estes jovens queridos que conhecem ao Senhor, que servem a Deus em novidade de vida. A história deste moço praticamente começa ainda no aconchego da sua família, da sua casa, da sua nação. Daniel, na altura deste acontecimento, estava aproximadamente com doze a catorze anos, quando foi levado para o cativeiro da Babilônia. Moço criado nos padrões judaicos da época, no sistema patriarcal, o pai com toda a certeza era o regime em que a voz máxima era a sua, e que os filhos viviam cercados por aquela obediência. E com toda a certeza a exigência da família judaica de temor a Deus, de respeito a Deus, de leitura bíblica, de ler o Torá, ler o Antigo Testamento, ir praticamente ao templo. Para muitos jovens aquilo parecia até mesmo uma coisa chata, porque a nossa juventude gosta de expandir os seus sentimentos, de extravasar praticamente as suas ações. O jovem normalmente gosta de aventuras, quer tem prazer nisso. A sua energia pede, exige. E muitas vezes se torna difícil viver dentro de um lar onde a disciplina e a obediência são fatores preponderantes. E muitos moços, muitas vezes, obedecem papai e mamãe simplesmente porque tem de obedecer. Caso contrário, vai ser disciplinado. Vai passar por um castigo, até que aprenda a obedecer. E nós encontramos aqui neste episódio, quando a nação de Israel foi tomada de assalto por Nabucodonosor, da Babilônia, e na primeira leva de cativos, quando Nabucodonosor vai levando os judeus para o cativeiro, diz a Bíblia Sagrada que ele escolheu pessoas nobres, que tinham estudo, pessoas que tinham um ofício na vida, aquelas pessoas de elite. Para que levar pessoas analfabetas, pessoas sem nenhuma estrutura educacional, para que? Dar trabalho na sua nação? Não, ele procurou selecionar aqueles que tinham sangue real, meninos cultos, pessoas que podiam perfeitamente contribuir para o crescimento do grande império da Babilônia. E é justamente nesta primeira leva de cativos que Daniel é levado juntamente com Sadraque, Mesaque e Abdênego. E quando esses moços são levados para o cativeiro, agora longe do convívio da sua nação e da sua família, longe do papai e da mamãe, que naturalmente faziam aquela força para que eles permanecessem dentro de casa, e agora estes jovens estão distantes da família. Não existe mais aquele patrulhamento. Não há ninguém por perto para dizer o que se deve fazer e o que não se deve. E muitos deles nessa hora diziam assim: “Oba! Chegou a minha grande oportunidade! Agora, longe do papai, longe da mamãe, longe daquela vizinhança, longe da igreja, num lugar distante, eu vou poder extravasar os meus pensamentos, a minha força, a minha energia!”

Mas não foi isso que Daniel fez. Quando chegou na Babilônia, segundo aqui o versículo oito do capítulo primeiro, a primeira coisa que ele fez, foi propor ou colocar no seu coração não se contaminar com as finas iguarias do rei. Ele decidiu no seu coração não se contaminar. Ninguém pode fazer você pecar a partir do momento em que você disser, eu não quero pecar. Na hora que você fecha a porta do seu coração para o pecado, não há demônio que obrigue você a pecar. Não há inferno que obrigue você a fazer o que é errado. E foi justamente o que Daniel fez. Ele colocou no seu coração não se contaminar com as finas iguarias do rei. Ele podia perfeitamente participar daquele banquete. Ele sempre ouvira falar de uma carne de porco assada, que era deliciosa, de certo vinho que era precioso, ele sempre ouvira falar dos grandes banquetes da Babilônia, dos bacanais; ele podia entrar de uma vez nessa situação, mas ele propôs no seu coração não se contaminar com as finas iguarias do rei. Prezado jovem, amigo, você que tem sido criado num lar evangélico, você que tem tido a sua formação cristã dentro de uma igreja, que prima por um padrão de santidade e de pureza, você que naturalmente obedece a seu pai e sua mãe, porque acha simplesmente que é seu pai e sua mãe; mas vai chegar o dia em que eles não estarão por perto. Vai chegar a hora em que você terá de caminhar com os seus próprios pés; vai chegar a hora que você vai ter de enfrentar aquela faculdade, aquele emprego fora do seu país, em outra nação, que está com a porta do mundo escancarada. Mas faça nesse momento como Daniel, que colocou no seu coração não se contaminar com as finas iguarias do rei. Você pode ir para onde você quiser, você pode se esconder da presença do pai e da mãe; você pode sair do convívio da sua igreja, mas uma coisa eu lhe digo neste momento: o Espírito Santo habita na sua vida, Ele está no seu coração, e é em respeito a Ele que você vai colocar no seu coração não se contaminar com as finas iguarias do rei. Você já tem um padrão de vida espiritual elevado, você tem crescido naturalmente na vida espiritual e na presença de Deus, você sabe o valor que você tem para Deus. A Bíblia diz que “Deus amou o mundo –- Deus amou você –- de uma tal maneira que deu o Seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” [ ]. Este amor que o alcançou e preserva, é este amor que o vai levar ao céu. É este amor que quer você bem pertinho de Deus, no trono da Sua glória. Mas as oportunidades vão surgir. As ofertas vão aparecer. As propostas estão em todos os lugares. É na escola, é aquele coleguinha que lhe oferece um trago de cigarro, ou uma picada de entorpecente, é aquele outro que na esquina vai lhe oferecer um trago da maconha, é aquele que vai querer lhe dar uma picada de LSD. Em todos os lugares você vai ter propostas indecorosas, como Daniel também teve. Mas uma coisa ele fez, diz a Bíblia, que ele propôs, no seu coração, não se contaminar com as iguarias do rei. É isso que você deve fazer nesse momento. Não se deixe levar, não se deixe contaminar. Você tem um preço muito alto. Jesus ama você e vai levá-lo para a glória eterna se você se manter fiel até o fim. Que Deus o abençoe e guarde, e conserve esta palavra no seu coração, e seja fiel até a morte [ ]. Que Deus o abençoe e guarde. Amém e amém.

Domine ou seja dominado

ESTE É O SEU PROGRAMA “A Bíblia Responde”. E vamos mais uma vez meditar na santa Palavra de Deus, neste momento com o tema Domine ou Seja Dominado. E para a base da nossa mensagem neste momento vamos ler, no Livro de Gênesis, no capítulo quatro, o versículo seis. E o SENHOR disse a Caim: por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta. E sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar. Na Versão Atualizada diz mas a ti cumpre dominá-lo. O pecado jaz à porta, mas compete a você dominar. Quando o homem foi criado por Deus, ele não tinha problema consigo, nem com o seu semelhante, nem com Deus. Porque a natureza pecaminosa não existia. Mas a partir do momento da queda, do momento em que o homem caiu, ele tentou cobrir a sua nudez, com folhas de arbustos, imagine só. Quando o sol aqueceu, murchou a folha, e caiu, e a nudez apareceu. E naquele momento Deus mostrou de que maneira deveria o homem cobrir a sua nudez, quando Ele mesmo imolou um animal, tirando a sua pele e cobrindo a nudez daquele casal. A Bíblia diz que sem derramamento de sangue não há remissão [ ]. Deus havia mostrado naquele momento qual era a forma, a maneira com a qual o homem podia ainda reatar a sua amizade com Ele. E naturalmente esse sistema prosseguiu, até que nós encontramos este episódio entre Caim e Abel. Eles estavam habituados a prestar cultos a Deus; e no momento desse culto, Abel ia ao rebanho que ele criava e pegava o melhor que havia; imolava e oferecia a Deus. Caim, entretanto, foi e tomou um feixe de cereais, de arbustos, de ervas, e veio oferecer a Deus. E Deus não aceitou. Por que? Porque não era esse o processo que Deus havia ensinado. Não era esse o método que Ele havia aplicado. Ele havia mostrado que, para que cobrir o pecado de alguém, era preciso pagar um preço de sangue. E Caim vem querer oferecer vegetais nesse momento? Então, quando Deus aceitou e recebeu o sacrifício de Abel, Caim ficou irado e foi tomado de um ciúme muito forte; e queria simplesmente se vingar do seu irmão, como se ele, Abel, fosse o culpado de Deus não ter aceito a sua oferta. E foi nesse momento que Deus se chegou a Caim e disse: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? “Se você fizer a coisa como Eu mandei, você vai ser aceito, também. Mas você quer fazer a coisa da sua maneira, da sua forma, do seu jeito?”

Irmãos queridos, nós estamos vivendo na época da Igreja de Laodicéia. Laodicéia simplesmente quer dizer “direito dos povos”. Ou seja, todo o mundo manda. Todos querem fazer. Só que existe um problema. É que ninguém quer se submeter à vontade de Deus. É mais quem quer criar um sistema religioso, da sua maneira, da sua forma, do seu jeito. E quanto mais os homens pensam que estão agradando a Deus, mais eles estão simplesmente se afastando da presença do Senhor. Que mundo de heresia é este que nós estamos vivendo? Porque Deus deixou um padrão. Deus mostrou que somente através de Jesus Cristo é que o homem pode chegar ao céu. Jesus mesmo disse: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida, e ninguém vem ao Pai a não ser por mim [ ]. E muitas pessoas querem ir através de Buda, Maomé, Confúcio, Zoroastro, através dos grandes filósofos deste mundo, através das boas obras, através dos chamados santos. Quando Jesus disse “Eu sou o caminho”, o resto tudo é atalho que não leva a lugar nenhum. E muitas pessoas estão querendo chegar a Deus através de uma religião criada por elas mesmas. É preciso que você desperte nesta hora, e veja se você não está fazendo à semelhança de Caim, criando um sistema religioso da sua maneira, que de forma nenhuma agrada a Deus. Deus deixou o marco. Ele deixou uma forma. Ele deixou uma maneira. Em cima do Monte da Transfiguração estavam Jesus, Moisés e Elias. Aquela voz do céu bradou dizendo “Este é o Meu Filho, a Ele ouvi! [ ]” No Jordão, no momento em que Jesus estava sendo batizado com o Espírito Santo, a voz lá de cima bradou, dizendo: “Este é o meu filho amado, em quem tenho prazer! [ ]” Não adianta, meu amado irmão, você querer chegar ao céu criando um sistema religioso da sua maneira. Das boas obras, filosofias humanas, religiões humanas, humanismo e outras coisas; ninguém chegará ao Pai, a não ser através da pessoa bendita de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Mas voltando neste momento ao que Deus havia dito para Caim: “Caim, o pecado está à tua porta; ele está forçando a tua porta, ele quer entrar na tua vida, mas compete a ti dominá-lo; ou tu o dominas, ou serás dominado.” Meus prezados amigos, irmãos queridos, a partir do momento em que o homem caiu, ele passou a ter esta briga, esta luta, a travar esta luta, dele contra o pecado. O pecado quer dominar, quer tomar conta, simplesmente quer agir através da sua vida; ele todo o tempo está batendo à sua porta. É na figura de uma desonestidade, é numa figura feminina, sexual, é na figura simplesmente de um prazer momentâneo lá fora. E simplesmente o pecado está em todo o canto e quer entrar; mas diz aqui Deus nesse momento para Caim: “compete a ti, Caim, dominar!” Não espere que o pastor da sua igreja venha a dominar o pecado por você. Não espere que o seu pai ou a sua mãe venha a dominar o pecado por você, não! Esta é uma batalha individual que todos nós temos que travar conosco mesmo, com nossa natureza pecaminosa, com essa natureza terrena. O pecado quer invadir, o pecado quer entrar, ele quer agir, mas diz aqui a Bíblia, compete a você dominá-lo! Então você pode dizer: “Mas Pastor Jorge, muitas vezes a força do pecado é muito grande contra a minha vida. Eu tento vencer, mas sou sempre derrotado. Eu quero me levantar, mas não consigo.” Você disse muito bem. Por isso é que eu quero lhe apresentar neste momento a pessoa bendita de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Ele pode perfeitamente tomar a frente da sua vida. Ele, quando diz, “recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo”, é porque Ele quer encher a sua vida de poder, poder para vencer o mal, o pecado, vencer essas atrações do mundo e manter-se puro e santo na presença do Senhor. Você pode ser muito mais do que vencedor através do nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Compete a você dominar. Leia a Bíblia. Ore, busque, e você vai ver o poder de Deus vitorioso sobre você. Que Deus o abençoe e guarde. Que o Senhor resplandeça o Seu rosto sobre você e lhe dê a paz. Amém e amém.

O Maravilhoso

PROSSEGUIMOS NESSE MOMENTO COM O SEU PROGRAMA “A Bíblia Responde”, e vamos meditar neste momento na Palavra de Deus, no Livro do Profeta Isaías, capítulo nove, versículo seis, que nos diz o seguinte: Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz. Setecentos anos antes do nascimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, numa linguagem profética e visão extraordinárias, o Profeta Isaías, antecedendo todos os acontecimentos, porque assim é a visão profética, ele declara que um menino nasceu. Claro, só nasceria setecentos anos depois. Mas na visão do profeta Ele já havia nascido no coração de Deus. Já havia nascido, só faltava ser apresentado ao mundo. E quando começamos a observar o nome que este menino receberia ao nascer, aqui simplesmente declara que Ele se chamaria, ou o seu nome será Maravilhoso. Por que iniciamos verificando o nome de Jesus com esta expressão, Maravilhoso? Por que Isaías chama Jesus de Maravilhoso? Não é simplesmente Isaías que estava vendo antecipadamente os acontecimentos, mas quem conviveu com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo não podia ver nesta pessoa outra coisa, e dizer outra palavra a não ser que Ele é Maravilhoso.

Lembramos daquele dia em que Jesus Cristo vai com os Seus discípulos atravessando o Mar da Galiléia [ ]. E de repente o barco é tomado por uma tremenda tempestade, com ondas tão grandiosas que davam a entender que o barco ia sucumbir, ia para o fundo. Pescadores experientes como Pedro e os seus demais companheiros de viagem, acostumados ao Mar da Galiléia, acostumados às ondas; mas eles nunca tinham visto coisas tão terríveis e tão tenebrosas como aquelas ondas que estavam açoitando o Mar da Galiléia naquela naquele dia. É como se todo o inferno houvesse se reunido em conjunto para jogar aquele barco no fundo, porque ali dentro ia um passageiro muito importante. E aqueles homens se seguram de todo o jeito. Eles tentam salvar o barco; vão de um lado para outro, amarrando uma coisa e outra; e as ondas começaram a invadir o barco, de tal maneira que eles viam que o barco ia para o fundo naquele momento. E diz a Bíblia Sagrada que Jesus estava ali naquele barco e estava dormindo. Somente Jesus, no meio de um vendaval, no meio de um temporal tão grande, tinha condições de dormir tranqüilamente. Até que chega o momento em que os discípulos não agüentam mais aquela situação e correm aonde estava Jesus de Nazaré, despertam o Senhor e dizem: “Senhor, nós vamos perecer!” Jesus levantou-se, diz a Bíblia, colocou-Se em pé, na proa daquela embarcação, e estendendo a mão, disse: “cala-te, vento, aquieta-te mar”; e naquele momento sobreveio uma grande bonança. A tranqüilidade retornou, a paz estava ali. O mar tranqüilizado, e os discípulos atônitos, olhavam um para o outro, a dizer: “Maravilhoso!” Só esta expressão podia expressar o que tomava conta deles. Que Ele era Maravilhoso. Porque operar maravilhas daquele jeito, tinha de ser Maravilhoso. É por isso que o profeta, setecentos anos, dizia, “e o Seu nome será Maravilhoso”. É isso que Jesus Cristo era, Maravilhoso. Glória ao precioso nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Atravessado o Mar da Galiléia, estão naturalmente em outra ocasião [ ], e onde Jesus está pregando um sermão e uma multidão imensa se aproxima, vidas famintas, desejosas de ouvir a Palavra de Deus. E multidões afluíam para ver Jesus Cristo. Ele prega sobre o Reino de Deus. As multidões estão atentas, absorvidas, sem perder uma palavra. E o sermão foi se estendendo, e ninguém se afastava do lugar, até que se fez tarde. E foi dito que se mandasse o povo embora para casa. Mas sair dali para ir comprar o que, aonde, no deserto? Não tinha nenhuma padaria, nenhuma panificadora, nenhuma pizzaria, não tinha nenhum restaurante ali por perto. Esse povo iria desmaiar pelo caminho; e foi nesse momento que Jesus dirigiu-se aos discípulos e disse: “Dai-lhes vós de comer, dai-lhes vós de comer!” Eu creio que os discípulos naquele momento olharam uns para os outros: “Mas como? Não temos dinheiro, não há com que comprar, não tem o que comprar!” Mas naquele momento Jesus perguntou: “O que é que vocês têm por aí?” Um olhou para o outro, não tinham nada. Mas estava um garoto, ali por perto, que tinha um lanchezinho. Uma merenda que ele ia levando naturalmente para aquela ocasião, aquele encontro. E disseram: “Só há um garoto aqui que tem dois peixinhos e cinco pães.” Jesus disse: “tragam-nos aqui”. E quando trouxeram a Jesus, Ele abençoou, partiu, e foi entregando para os discípulos distribuir. Ele punha a mão no cesto, tirava peixe e pão para o primeiro; peixe e pão para o segundo discípulo; peixe e pão para o quinto, peixe e pão para o décimo, peixe e pão para o décimo segundo, e a cesta continuava com peixe e pão. E a multidão naquele momento foi alimentada simplesmente com a multiplicação de dois peixinhos e cinco pães. Os discípulos atônitos olharam um para o outro e não tinham outra expressão a não dizer “Maravilhoso, Ele é Maravilhoso!” Jesus é Maravilhoso. Não há nada que se iguale a Ele, não há nada que corresponda àquilo que Ele é. Porque Ele é Maravilhoso. Ele é o Maravilhoso que está nesse momento aí na sua vida, do seu lado, Ele é o Maravilhoso que transformou a vida de um pecador destituído numa nova criatura, como você. Você já se olhou no espelho hoje? Olhe para aquela fotografia antiga que você tinha, daquela figura que vivia se embriagando pelas esquinas; olhe para essa fotografia daquele tempo que você vivia nas drogas, olhe quem você é hoje, e só existe uma expressão, qual é? Jesus é Maravilhoso! Ele é o Maravilhoso na nossa vida, na minha, na sua vida e na vida de tantos quantos O têm recebido como seu legítimo Salvador, glória a Jesus! É justamente isso que Isaías diz que o nome Dele será Maravilhoso. Jesus é este Maravilhoso Senhor que está presente em nossa vida. Recorra a Ele, busque-O. Há um problema? Há uma dificuldade na sua vida? O Maravilhoso está aí perto de você! Ele está do seu lado, Ele está pronto para ajudar. Que o Senhor o abençoe e guarde nesta oportunidade. Que Ele faça resplandecer o Seu rosto sobre você, tenha misericórdia e lhe dê a paz. Que o Senhor o ajude, hoje e sempre. Amém e amém.
Por: Pastor Jorge Valle

0 comentários:

Postar um comentário

Comente, Questione, Critique, Aconselhe, Tire Dúvidas.

Mas difamações, ataques pessoais, trollagens, xingamentos, atitudes de intolerância, assim como comentários à serviço de militâncias políticas e religiosas não serão aceitos!

Fica reservado ao Blog Filhos de YHWH ou não, de comentários anônimos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

468x60

energia a preço justo
Nelson Neto. Tecnologia do Blogger.
 
Filhos de Yhwh © 2012 | Designed by Nelson Neto